Vereador acumula cargo de confiança

A partir de hoje, o vice-presidente da Câmara de Maringá, Luciano Marcelo Simões de Brito (PSB), passa a acumular a função de vereador e do cargo que ocupa na mesa diretora com um cargo de confiança do governador Beto Richa (PSDB). No último dia 21, através do decreto 6827, Richa voltou a nomear Luciano Brito como diretor da Penitenciária Estadual em Maringá (DAS-5, pouco mais de R$ 3 mil mensais), pela Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, entrando em vigor a partir desta quarta-feira. Com sua nomeação, foi exonerado Vaine Gomes, que ocupou o cargo durante o período de desincompatibilização.
A questão é saber se ele conseguirá exercer plena e eficazmente os dois cargos, ambos pagos pelo contribuinte.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

6 pitacos em “Vereador acumula cargo de confiança

  1. pastor, vereador e 1º secretario da mesa diretora, diretor da Penitenciária !!! tudo indica que teremos um vereador inoperante devido o acumulo de funções.

  2. crente quente diz:

    Tá explicado porque ele roeu a corda, ganhou um carguim. Começou bem.
    Quem votou e ecreditou nele já se decepcionou no primeiro dia.
    Cuidado que tu pode apanhar na igreja.

  3. Ele não poderia ser diretor da penitênciaria pois é formado em Educação Fisica
    “O QUE DIZ A LEI DE EXECUÇÃO PENAL SOBRE O ASSUNTO?”

    “Art. 75 – O ocupante do cargo de diretor de estabelecimento deverá satisfazer os seguintes requisitos:
    I – ser portador de diploma de nível superior de Direito, ou Psicologia, ou Ciências Sociais, ou Pedagogia, ou Serviços Sociais;
    II – possuir experiência administrativa na área;
    Ill – ter idoneidade moral e reconhecida aptidão para o desempenho da função.
    Parágrafo único – O diretor deverá residir no estabelecimento, ou nas proximidades, e dedicará tempo integral à sua função.”

    Portanto totalmente ilegal.

  4. e o cara é formado em gestão publica, nao é inocente, esta assumindo uma função irregularmente o que é pecado.

    ops! a vida religiosa nao pode se misturar com a publica (só para pedir voto que pode)

Deixe seu pitaco