Viapar x Acim

marceloxtadeu
Não chamem para sentar à mesma mesa o presidente da Viapar e o atual presidente da Acim. A Viapar queria responder a uma reportagem que a revista da Associação Comercial e Empresarial de Maringá publicou na edição de março, mas a resposta foi censurada. A publicação que criticou as concessionárias de pedágio deu capa, editorial e dez páginas, com o mínimo de espaço para a defesa das empresas. O presidente da Viapar, Marcelo Machado, queria uma resposta na edição de abril, nem que tivesse que pagar pelo espaço. Marcos Tadeu, presidente da Acim, vetou.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

16 pitacos em “Viapar x Acim

  1. Marcos Tadeu, não li a reportagem da ACIM, mas se irritou os extorquidores, tamo junto. Seu tio Orly, se vivo fosse, estaria orgulhoso de você. Talvez o incentivasse a criar o pedagiômetro. E acompanhar o descumprimento de contratos. Daqueles que nos fazem trafegar em pistas simples na mesma velocidade da década de 60 em estradas de chão batido ou cascalhadas. Temos pressa e não podemos andar no ritmo de aproveitadores como se fôssemos um Paraguai. Parabéns!

  2. anonimous diz:

    E uma tática das concessionárias de pedágio onde qualquer reportagem que desagrade o objetivo usurpador é colocada matérias nos mesmos veículos de informação com o intuito de transformar uma grande mentira em verdade.
    Novamente a Acim e outras entidades tem que ficar atentas com a perspectiva de prorrogação dos contratos vigentes.
    “FORA USURPADORES”

  3. Parabens ao Marcos Tadeu, finalmente alguem se levanta contra esta roubalheira. No Rio Grande do Sul, o governador Tarso Genro, acabou com os pedagios, e o estado vai adminstrar as praças. As pedagiadoras do Paraná pegaram nossas rodovias em um ato criminoso do ex-governador Jaime Lerner, juntamente com os deputados estaduais da época, dentre eles o de nossa cidade Divanir Braz Palma. Nos resta ver se o nosso governador tem saco roxo de romper com essa gente e reaver o que é nosso.

    • anonimous diz:

      Você esqueceu do Ricardo Maia irmão do ilustríssimo presidente de nossa câmara municipal e tanto é que o nosso governador nomeou seu querido irmão para tratar com as concessionárias de pedágio uma forma de prorrogar o tempo dos contratos. O blog costuma censurar quando desce o “cacete” na viapar.

  4. Leitor do Blogue diz:

    Pra mim, é o b0st@ falando da m&rd@: a ACIM criticando uma empresa só pode ser despeito por não ter acesso à essa festa.

  5. Prof. Luiz gonzaga diz:

    Para mim o pedágio no PR é uma forma de roubar o cidadaão e com apoio “legal” e não moral. O pior é ver matérias de conciliações pelo poder judiciário para cobrar quem fura o pedágio. Mas nunca vi uma audiencia pra cobrar o cumprimento real do contrato, em fim é a herança do Lenner e de seus seguidores, que provavelmente não tem e não terá nenhum interesse em resolver isto Parabéns ao meu ex-colega de faculdade no UEM, Marco tadeu. você é o cara!

  6. A ACIM esta correta de não abrir espaço para a Viapar e para nenhuma outra concessionária.
    Ficar aqui no blog reclamando do passado de Lerner e dos deputados estaduais que na época tanto eles como nós nem sabíamos o que era pedágio não muda nada, o que muda é de agora em diante com o fim do contrato. Como nossos atuais e futuros seres de luz que estão governando e legislando o Paraná se comportarão?
    Todos nós teremos que nos mobilizarmos antes e pressionarmos todos eles para que não renovem os pedágios ou se renovarem, que sejam valores iguais os de Santa Catarina.
    O que estão fazendo hoje é literalmente um roubo, o gasto com pedágio hoje em uma viagem para o litoral é quase metade do gasto com combustível, a quantidade de carros nas ruas e estradas no minimo triplicou e as estradas estão praticamente iguais, ou seja a receita das concessionárias aumentou e as obras nas estradas não passam de roçadas e tapa buracos .

  7. Não sou a favor nem de concessionárias e nem de associação. O que eu abomino é qualquer tipo de censura.

  8. valter m figueiredo diz:

    Por isso que tem que regulamentar a lei dos MÉDIOS se não uma mentira repetida muintas vezes vira verdade, a ia me esquecendo esse pedagio é uma robalheira quem acaba pagando essa conta é a dona Maria no supermercado.

  9. Lucas Campanholi diz:

    Não sou contra o pedágio, desde que seja de administrado de forma ética e transparente. Ocorre que o sistema de pedágio atual não sofre nenhuma fiscalização ou auditoria por aqueles que deveriam fiscalizar:

    Fato 1 – Os deputados do Paraná nesse tema são TODOS OMISSOS, inclusive os da região de Maringá:

    Fato 2 – Foi criada através da Lei Complementar 94/2002, a criação de uma Agência vinculada ao governo estadual, para fiscalizar os pedágios, a AGEPAR, mas que nunca entrou em operação, somente no final do ano de 2012 saiu só a regulamentação no qual foram indicados por BETO RICHA, vários diretores que já trabalharam no alto escalão da DER (todo o reajuste passa pelas mãos do DER). PENSEM…só vai servir como cabide de empregos…

    Fato 3 – O único deputado do Paraná que se levantou contra os pedágios, Kleiton Kielse (PEN) denunciou o que chamou de “Máfia dos Pedágios”, no qual o financiamento de campanhas de vários parlamentares por parte de concessionárias seria o principal motivo pelo qual a CPI dos Pedágios ainda não tenha sido instaurada pela casa, inclusive do . Resultado da denúncia: FUNDO DA GAVETA.

    Fato 4 – O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou ao Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) a revisão dos contratos dos Pedágios do Paraná, Pois foi verificado que o lucro das concessionárias têm sido muito superior ao que foi acordado.

    Fato 5 – Os sucessivos reajustes dos pedágios do Paraná tem tido respaldo pela Secretaria de Infraestrutura e Logística do Paraná, no qual o secretário é o José Richa Filho, que já foi diretor administrativo e financeiro do Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

    Fato 6 – A falta de obras e os preços exorbitantes praticados pelos pedágios continuam sem explicação.

    Cadê os nobres deputados da região de maringá? cadê vocês cambada? Passou da hora de Sai da moita, e fica um um bando de sem noção endeusando essa cambada aí, só chega perto dos cara pra tira foto e puxa o saco, cobra a ética e vergonha na cara nada né?

    Cadê você cambada? Sai da moita!!!

    Deputada federal Cida Borghetti
    Deputado federal Edmar Arruda
    Deputado federal Luiz Nishimori
    Deputado federal Odílio Balbinotti
    Deputado estadual Dr. Batista
    Deputado estadual Enio Verri
    Deputado estadual Evandro Junior
    Deputado federal Wilson Quinteiro

    TODOS OMISSOS!!!

Deixe seu pitaco