As últimas prisões

O Ministério Público do Paraná, por meio do Gaeco de Maringá e o Gaeco de Campinas (SP), realizaram hoje a segunda etapa de uma operação para coibir o desvio e a receptação de peças de trator. Ao todo, dez pessoas são investigadas pelo Gaeco Maringá por envolvimento no esquema, sendo que nove delas tiveram decretadas prisões temporárias. Além disso, a Justiça determinou o cumprimento de 15 mandados de busca e apreensão.
Segundo as investigações, nos pedidos regulares de peças feitos pela Solomar, revendedora John Deere, de Maringá, a uma distribuidora de Campinas, dois empregados da firma paulista incluíam itens desviados do estoque, que eram enviados e revendidos no Paraná por quatro funcionários da empresa de Maringá. Foram identificados como receptadores das peças quatro empresários da região. 


Com base nas investigações, a Justiça de Maringá decretou nove mandados de prisão temporária, sete dos quais foram cumpridos em Maringá, Umuarama, Marialva e São Jorge do Ivaí, no dia 1º de setembro. As duas prisões restantes foram efetuadas hoje, em Campinas. Os 15 mandados de busca e apreensão expedidos também já foram cumpridos.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

Um pitaco em “As últimas prisões

Deixe seu pitaco