PMB no condomínio

pmb

Comenta-se que a vereadora Márcia Socreppa, que já decidiu não disputar mais vaga na Câmara de Maringá, trocará o PSDB pelo PMB, sigla que, espalham os aliados de Ricardo Barros (PP), fará parte do condomínio partidário da família.
No Paraná, o PMB é presidido por Carmen Lúcia Silva Cunha, de Fazenda Rio Grande, ligada ao deputado federal Antonio Wandscheer, ex-petista e 1º secretário da executiva estadual do Partido da Mulher Brasileira.

Se o PMB for mesmo para as mãos da família, em Maringá o partido será linha auxiliar do glorioso PP na eleição municipal de 2016. Até agora, porém, não há registro oficial da primeira executiva do partido em Maringá.
O PMB será uma espécie de compensação para a perda de siglas que eram aliadas dos Barros, como o PSDC, PSL, PSDB, PSD, PTC e PHS.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

7 pitacos em “PMB no condomínio

  1. O PMB assim como os demais partidos deveriam ter um pouco mais de respeito e decência com as pessoas, e deixaram de veicular propaganda política pelo menos aos domingos, dia em que todos nos merecemos não ser perturbados nem por partidos e muito menos por políticos corruptos.

  2. Isso sim que é discriminação, o partido da mulher brasileira, sempre existiu e fica naquele lugar, que todos já conhece, e não partido político, que normalmente é mais um para participar das corrupções, que já temos de mais no nosso Brasil.

  3. Professora diz:

    Essa senhoura poderia ir para o PDCC. PARTIDO dos chupa cabra. E ir embora de mga..Jesus perdoe Essasenhoura que tem nas mãos todas diretorinhas das creches…um abuso…isso na minha terra e formação de 4…..

Deixe seu pitaco