Muro de arrimo

ciclovia

Quem passa pela avenida Brasil, depois da praça Souza Naves, e vê a ciclovia feita em asfalto no canteiro central imagina que a prefeitura agora vai construir muro de arrimo ao longo da obra.
Chama a atenção a diferença entre a pista e a altura da grama/terra.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

7 pitacos em “Muro de arrimo

  1. MINHA HUMILDE OPINIÃO, TEM QUE SER MAIS ALTO AINDA, PRO PESSOAL NÃO ATRAVESSAR POR CIMA E USAR AS FAIXAS DE PEDESTRE. TAMBÉM RESPEITO OPINIOES CONTRARIA, PORQUE NUNCA CONSEGUE AGRADAR A TODOS.

  2. Senhores vereadores,

    Vamos fiscalizar a qualidade da obra, pois com certeza vocês devem saber quem venceu a licitação, e pelo valor que foi conquistada a obra!

    Dias de chuva além da terra avançar a pista, o mato em pouco tempo vai tomar conta da ciclovia! Sem o muro de arrimo.

    Essa é uma das funções dos vereadores! Daqui a pouco esta obra vai ficar igual o Portal do Parque do Ingá!

    O Blog do Rigon e nós cobrando desde antes de iniciar a obra, eu mesmo tenho a foto, de quando instalaram a placa onde constava uma obra de 33m² no custo final de R$ 273 mil reais.

    Logo vão apresentar, ou o Blog do Rigon, vai ficar sabendo do custo da “Ciclovia” (Av. Brasil), ai ficar igual àquela o velho dito popular que todos conhecem: entra a cabeça que não tem ombro”, ai não adianta chorar.

    Não é Akino Maringá? Não, pode fazer igual aconteceu na “milionária” Ciclovia da Avenida Mandacaru! Choramos mas só gastamos lágrimas, não foi mesmo.

    Portanto vereadores de Maringá, agora é a hora!

    José Fuji/PDT/Maringá.

  3. Desculpe Senhor José Fuji,

    Antes de postar qualquer comentário, o senhor poderia consultar os engenheiros fiscais da SEMOP – Secretaria Municipal de Obras Públicas, esse problema já foi apontado pelo fiscal da obra, estão sendo tomadas as devidas providências, houve reunião para discutir sobre esse assunto, cada obra tem sua perdulariedade, no final tudo vai dar certo, deixa para os engenheiros cuidar do assunto, são pagos para isso, importante é salvar vidas, é por isso que a ciclovia está sendo feita.

  4. Com relação aos custos das obras, existe na SEMOP – Diretoria de Custos, que é responsável pela elaboração da planilha de custo de cada obra, para saber o custo da obra, é utilizada Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI), divulgadas mensalmente no site da Caixa. É obrigatório a utilização dessa tabela pelos órgãos, que é apresentada ao CREA, CAU e o próprio TCE/PR que fiscaliza o custo das obras através desta tabela. Quando fazer comentários, por favor, consulte antes os responsáveis técnicos.

  5. E quanto ao inicio dela la proximo a praça Rocha Pombo alguem vai cobrar o rebaixamento da guia naquela parte onde acabou a primeira fase. Acho que esta construtora que continuou a 2 fase deveria fazer. Alias ciclitas invadem a pista para subir na lateral onde tem uma parte rebaixada. Nao sei de quem e a responsabilidade mas alguem ter que ver e resolver naquela situaçao nao pode ficar.

  6. Juliano diz:
    10 de fevereiro de 2016 às 14h 15

    Vamos aguardar pacientemente, Juliano! Mas se não executar voltamos com a cobrança! Quer dizer entendo que algum vereador o fará!

    José Fuji/PDT/Maringá.

Deixe seu pitaco