Segurança será do condomínio

O desembargador Paulo Roberto Vasconcelos, presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, indeferiu na semana passada pedido feito pelo juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública de Maringá, que solicitava mais um posto de vigilância desarmada de 44 horas, para realizar a segurança do 18º e 19º do Edifício Atrium, na avenida Pedro Taques, onde foi recentemente instalada.
Ao negar, alegou-se que lá existe segurança do condomínio, e que o TJPR paga aproximadamente R$ 20 mil a título de condomínio, incluindo toda a parte de segurança do prédio, “esta até mais rigorosa que nos outros edifícios em que estão instalados os Fóruns do Poder Judiciário do Paraná”.

O aumento de mais um posto de 44 horas, de segunda a sexta-feira, significaria acréscimo mensal de R$ 4.552,35.
Para abrigar as duas varas da Fazenda Pública, o TJPR já havia gasto quase R$ 1 milhão de reais com obras de adaptação.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

Deixe seu pitaco