Maringá 40 graus

ilustra-av

Caminhando pela avenida 19 de Dezembro esta semana, senti um certo temor. Como será o planejamento ambiental da nossa cidade?
Vejamos. Nesta avenida tínhamos vários flamboiãs plantados, árvores grandes, chegando a medir entre 7 e 10 metros, considerada ornamental devido às belíssimas flores que floresciam entre outubro e dezembro, geravam sombra, refrescavam e embelezavam.

Eis que foram substituídas por palmeiras, plantas que não são consideradas árvores, que não geram sombra, não refrescam e comumente são utilizadas para ornamentar grandes construções, como shoppings e supermercados e não avenidas movimentadas e cheias de poluição.
Não acho que precisa ser engenheiro ambiental, ecologista ou qualquer coisa do ramo para perceber as péssimas trocas que estão sendo feitas na cidade. Espero sinceramente que haja tempo para arrependimento e tempo para consertar os erros, antes que Maringá se torne cinza e cimentada, igualzinho fizeram com a praça da Catedral.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

Deixe seu pitaco