Palmeiras substituídas

plantio

Servidores da Semusp replantaram nesta manhã várias palmeiras na avenida 19 de Dezembro. Desde que a obra foi entregue mais de uma dezenas delas morreram; nem todas foram substituídas. Desta vez foram replantadas palmeiras maiores. A administração Pupin/Barros gastou mais de R$ 1 milhão com a aquisição de diversos tipos de palmeiras.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

6 pitacos em “Palmeiras substituídas

  1. Para pagar o vale refeição dos servidores ele não tinha….Nem para pagar o valor da reposição, parcelou em 7 vezes….saco de maldade.Isto porque tem muitas mudas no viveiro, é só plantar as adequadas para nossa região.Mas prefere plantar palmeiras que não tem nada a ver ´e e´muito cara..

  2. Prof. Luiz Gonzaga diz:

    É necessário e urgente discutir e agir tecnicamente e urgentemente sobre a problemática em que se tornou a arborização urbana de Maringá. Hoje, a situação não é apenas uma questão de inadequação e manutenção, mas também de um grau de risco de acidentes para a população,além dos altos custos aos cofres públicos, seja pela manutenção de um sistema arbóreo na sua maioria de arvores doentes ou incompatíveis com o desenvolvimento da cidade, seja pelos altos custos de indenizações determinadas pela justiça. Durante a campanha, encaminhei uma sugestão de proposta sobre este tema e creio, que após aperfeiçoamento com demais profissionais especializados, deva ser analisados com urgência. Quer saber um pouco mais sobre este assunto, acesse:
    http://www.ebah.com.br/content/ABAAAA6MUAK/especies-recomendadas-a-arborizacao-urbana
    http://www.ipef.br/silvicultura/arborizacaourbana.asp

  3. É muito simples. As palmeiras estão morrendo porque elas não crescem sobre pedras. Onde elas foram plantadas ficava o canteiro central, ao retirá-lo para a avenida ser aumentada, toda a base foi refeita com pedras que dão sustentação ao asfalto. O minúsculo canteiro artificialmente implantado, está sobre a base que me referi. Então, não tem como a natureza agir! E a mesma coisa também foi feita na Av. Kakogawa e na Avenida Morangueira onde está sendo construído e “essencial” corredor de ônibus. Lá também não vai sobreviver palmeira nenhuma, ou o que quer que seja.

Deixe seu pitaco