Eles voam como príncipes

boeing

Ricardo Boechat, na IstoÉ, comentando sobre o escândalo do uso de aviões da FAB para deslocamentos domésticos por parte de ministros – um deles, Ricardo Barros, do PP – escreveu que trata-se “de uma orgia com os recursos públicos”.
“Dependendo do destino, algumas viagens custam até R$ 100 mil. Desperdício imoral, sobretudo se considerarmos que alguns dos usuários são pessoas que de dia discursam sobre as dificuldades financeiras da administração federal, mas à noite voam como príncipes”.

“Os que usam e abusam desse expediente deveriam ter em mente que toda vez que um avião da FAB se desloca são os contribuintes que pagam o combustível, o desgaste do equipamento, as horas da tripulação e por aí afora. Se há previsibilidade na viagem, as autoridades deveriam esperar as promoções das companhias aéreas, sempre abundantes. Se comprar um pacote de bilhetes, os preços vão no chão.
Importante frisar que a zona não é de hoje. No ano passado, entre janeiro e setembro, ministros de Dilma Rousseff fizeram uso da mordomia mais de 2.400 vezes, transformando em letra morta decretos da então presidente que pretenderam disciplinar o serviço. Aliás, não está sendo diferente com Temer. É duro reconhecer, mas as práticas dos nossos governantes, desde Tomé de Souza, mais os assemelham do que distinguem”, conclui.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

2 pitacos em “Eles voam como príncipes

  1. Prof. Luiz Gonzaga diz:

    Salvo poucas exceções a maioria são estelionatários “legais”, usam da legislação para mordomias com o dinheiro do cidadão comum. Bando de sangue sugas!!

Deixe seu pitaco