Silvio Barros II não comparece à audiência de ação que ajuizou contra Ulisses e mais quatro

ação

O ex-prefeito Silvio Barros II (PP) não compareceu hoje à 66ª Zona Eleitoral para participar da primeira audiência da ação de investigação judicial eleitoral que ingressou contra o hoje prefeito de Maringá, Ulisses Maia (PDT), em 24 de outubro do ano passado, pouco antes do segundo turno da eleição municipal.

O vice-prefeito Edson Scabora, o empresário Luiz Pereira da Silva, da Jovem Pan, e os jornalistas Agnaldo Vieira e Angelo Rigon (também conhecido como sendo eu), que também são alvo da Aije, compareceram.
O advogado José Buzato abriu mão da coleta de provas orais, e agora a decisão caberá ao juiz Alexandre Kozechen. O ex-prefeito e a comissão provisória do Partido da República de Maringá pedem a cassação do diploma do prefeito e vice e a decretação de inelegibilidade dos demais.
A ação, que na inicial repete duas vezes o nome deste modesto blogueiro e qualifica Ulisses Maia de “jornalista”, tem mais de 500 páginas e leva as assinaturas de Jonnatas Rodrigo de Medeiros Tofaneto e de Daniel Romaniuk Pinheiro Lima, ex-procurador-geral da administração anterior e hoje assessor do ministro da Saúde, Ricardo Barros.
Como aconteceu em 2012, com Carlos Roberto Pupin, o núcleo jurídico do grupo político que mandou em Maringá nos últimos 12 anos fechou a campanha eleitoral com uma Aije, reunindo um apanhado de publicações e comentários feitos durante o período eleitoral pelos seus críticos. Uma das justificativas para tentar intimidar os que têm opinião divergente foram os gastos com campanhas de cidadania feitos pela Câmara de Maringá durante o período em que Maia foi o presidente. A ação não cita campanhas feitas em outras gestões, como as de Mário Hossokawa, e anexou uma “denúncia” protocolizada na Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público. É uma pena que o MP e o Judiciário tenham que dispender tempo, dinheiro e trabalho por conta deste tipo de coisa, que só acontece em época de campanha eleitoral.
Só para lembrar, a última administração do PP gastou em média R$ 27 mil por dia com propaganda. Legais, os gastos das campanhas de cidadania do Legislativo são irrisórios perto da gastança feita pelo denunciante, durante suas duas gestões como prefeito.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>