Reajuste vai ao Legislativo

O prefeito Ulisses Maia assinou hoje a mensagem que encaminha para apreciação dos vereadores projeto de lei que concede reposição salarial de 5,13%, correspondente a inflação do período, aos servidores públicos municipais.

A matéria atende reivindicação da campanha salarial da categoria e está fundamentada no artigo 37, inciso X, da Constituição Federal e nas leis complementares nº 239/1998 e nº 966/2013.
O ato foi acompanhando pela presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Maringá (Sismmar), Iraídes Baptistoni, e pelo secretário de Gestão, Laércio Fondazzi.
Além da proposta de reposição salarial, a administração enviou ao sindicato, na semana passada, entendimento para mais oito itens da pauta dos trabalhadores, como o vale-alimentação, benefício em fase final de licitação, aprovação de Lei contra o assédio moral, revisão do Plano de Carreira, discussão sobre alteração da jornada de trabalho dos servidores da saúde, Estatuto da Guarda Municipal, estudo sobre a implantação do regime único para celetistas, pagamento, nas férias, de dois dias subtraídos dos salários dos servidores no período da greve de 2016, com prorrogação do período de gozo para compensar outros dias descontados, e exclusão de registro sobre a participação na greve de 2016.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

6 pitacos em “Reajuste vai ao Legislativo

  1. Meu amigo Rigon, com o fito de ‘espairecer’, apesar de que ‘uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa’, não estou gostando nada do encaminhamento que vem sendo dado ao caso. Para que vocè tenha uma ideia quando afirmo que ‘não estou gostando nada’, haja vista que sou um ‘barnabé’ aposentado, vou contar a história do funcionário que faltou ao trabalho no começo do mês e no dia seguinte apresentou atestado médico. Na semana seguinte, faltou de novo ao trabalho e novamente apresentou atestado médico. Na outra semana, voltou a faltar e a apresentar atestado médico. Foi aí que o chefe ficou injuriado com o motivo das faltas, afirmando ao subordinado que: “Até onde sei, ‘exame de próstata’ deve ser feito, no mínimo, semestral ou anualmente, nunca semanalmente. O que o sr. tem a dizer-me para justificar três exames num só mês…?” O funcionário respondeu-lhe: “Eu queria ter certeza de que os diagnósticos anteriores estavam certos…!”. Conforme assevera o sábio ditado popular: “Acerca de cores e gostos não se discute”.

    aparecido baptista

  2. Isso ai nao é o prometido, isso é obrigação. E os servidores da camara, o sindicato ja quer 8% para eles, não mudou nada, Estão achando que um vale alimentação é o fim do mundo.
    Já viram o valor do menor salario dos ccs…
    viram a quantidade que tem…
    é fácil reduzir o número, mas aumentar o valor…

    • “Vai vendo”… Em 2008, mediante reforma administrativa realizada no fim de dezembro, após sua reeleição, o então prefeito, mudando a nomenclatura dos cargos em comissão, de forma ‘velada’, reajustou os salários dos CCs em 60% (média), sendo que em abril os CCs tiveram, também, o mesmo reajuste de 6% concedido aos servidores de carreira (reposição das perdas com a inflação), totalizando em média um reajuste salarial de 66% aos CCs, no início do seu segundo mandato. Na época, afirmei ao alcaide que, politicamente falando, estava dando um ‘tiro no próprio pé’…!
      “Amigo de verdade é aquele que diz o que você precisa ouvir, não o que quer ouvir. Ele arrisca a amizade pelo seu bem!” (Carlos Hilsdorf)
      Conforme assevera o sábio ditado popular: “Quem avisa, amigo é”…!

      aparecido baptista

      • PS: Vale salientar que além de reajustar os salários dos CCs em média 1.000% (mil por cento) a mais em relação aos servidores de carreira, eis que tiveram 66% enquanto a categoria teve 6%, inchando sobremaneira a folha de pagamento e com isso inviabilizando quaisquer melhoras salariais para os servidores concursados, em 2012, depois de eleger o sucessor, também mediante reforma administrativa realizada no final do respectivo mandato, aumentou o número de CCs, que passaram a ser mais de 500 (quinhentos), culminando na negativa do seu sucessor de oferecer cumprimento à Lei, qual seja, no mínimo, a reposição das perdas salariais ocorridas ao longo de um ano. Conforme diria meu amigo Fuji: “É pacabá”. Conforme diria Boris Casoy: “Isso é uma vergonha”. Conforme assevera o sábio ditado popular: “Fazer bonito com chapéu/dinheiro alheio é fácil”…!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>