Projeto de Dr. Batista sobre novo limite geográfico entre Sarandi e Maringá chega terça à CCJ

Volpato-Ulisses

Uma das principais notícias do dia, o documento com a assinatura, pelos prefeitos Walter Volpato e Ulisses Maia ajustando o limite dos dois municípios (leia mais) será anexado ao projeto de lei 74/2015 para posterior votação na Assembleia Legislativa do Estado.
O projeto é de autoria do deputado estadual Dr. Batista (PMN).

Na próxima terça-feira, espera o parlamentar, o projeto já estará na Comissão de Constituição e Justiça para iniciar o processo legislativo até a votação. S

projeto

omente a votação, pelos deputados, é que o novo limite terá valor legal. A mudança significará mais recursos para Sarandi, por causa do reajuste de sua população com a inclusão de três bairros na conta, o que produzirá um novo índice de repasse do Fundo de Participação do Município.

O projeto de autoria do Dr. Batista

O acordo assinado hoje pelos prefeitos das duas cidades

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

14 pitacos em “Projeto de Dr. Batista sobre novo limite geográfico entre Sarandi e Maringá chega terça à CCJ

  1. Engraçado como certas pessoas em seus comentários gostam de denegrir a imagem de um Deputado totalmente independente. …Dr. Batista é um Deputado que trabalha em benefício da população e quer o melhor para esta população.

  2. Alguém perguntou aos moradores dos três bairros se eles queriam “mudar de cidade?”
    É o povo mais uma vez sendo deixado de lado, só é lembrado na hora de votar.

  3. Meu caro “Anonimo”, é fácil falar do que não sabe?
    O que aconteceu ontem:
    O ITCG – Instituto de Terras, Cartografia e Geologia junto ao IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística fizeram o levantamento “in loco”, ouviram as pessoas e tomaram uma decisão técnica de como deveriam ser as novas divisas.
    Foi isso o que os Prefeitos assinaram e o Deputado levará para ser aprovado pela Assembléia, orgão competente para traçar limites entre municípios.
    Simples e técnico…. sem palpites…

    • Vamos pensar um pouco….
      o Correto seria unificar Sarandi e Maringá, assim Sarandi passaria a ser um bairro…
      não teria gastos com vereadores…
      nessa primeira etapa automaticamente automaticamente sobraria recursos para investir em saúde e educação…
      Sarandi é uma cidade pouso que não tem uma empresa sequer que justifica a emancipação
      agora acho engraçado… o Dr. Batista ao invés de cuida da saúde quer dar uma de engenheiro metendo o bedelho onde não foi chamado…
      não dá para entender mais nada
      como vai ficar a questão da documentação das casas ?? alguém pensou nisso ?? ou não pensaram que as famílias vão ter que se desdobrar e assumir o custo disso também…
      Esse projeto não tem nem perigo de ir adiante

      • Henri Cavagnolli diz:

        Nunca ouvi tanta besteira na minha vida. Sarandi não tem empresas? lkkkk. Virar bairro de Maringá? kkk Nem Iguatemi Maringá consegue transformar em bairro, pois lá é distrito kkkk. Tá sabendo muito hein. Maringá não faz mais que a obrigação como cidade polo atrair empresas e gerar empregos não só para ela, mas para as cidades vizinhas. É assim com Curitiba, Londrina, Presidente Presidente Prudente, Soracaba, por que aqui seria diferente. E esse território sempre foi de Sarandi, foi o IBGE que contabilizou errado, Maringá não está perdendo nada, só estão arrumando um erro. Em qualquer lugar do Brasil, uma rua com o mesmo CEP fazer parte duas cidades diferentes é ilegal. Só ali acontece isso e estão tentando corrigir. Parte dos 4 bairros reclamados, sempre foram de Sarandi, mas devido ao serviço de porco do governo, algumas contas vem em nome de Maringá e outras no nome de Sarandi. Moradores mais antigos sabem que ali sempre foi Sarandi, mas moradores recentes ficam perdidos. A lei é cada um no seu quadrado e ponto.

  4. Caro Renato,

    Nenhum órgão da imprensa, de Maringá ou de Sarandi, noticiou que moradores de três bairros estavam sendo consultados sobre a conveniência de mudarem de cidade.

    Assim sendo continuo afirmando que a população dos três bairros não foi sequer consultada sobre a mudança de cidade.

    Como você afirma a decisão “foi técnica” então o lado social sequer foi ouvido.

  5. Vou expressar uma opinião, para que refletimos sobre este tema. Quero deixar claro que não tenho nada contra o querido município de Sarandi, que historicamente acolheu ex. maringaenses, e que também a fez no Paraná ser uma cidade já grande, e com um crescimento muito acentuado.
    Primeiro gostaria de enfatizar, que esta Lei estadual, está atendendo a critérios técnicos, e também, chegando a conclusão, que Maringá “invadiu “ o município de Sarandi..”…Se isto ocorreu foi por negligência da administração de Maringá, na época dos loteamentos. logo os moradores que estão lá não tem nada a ver com isto. Deveria se analisar que em havendo o erro, são cidadãos maringaenses que estão nestes locais, e sempre tiveram e consideraram que moram em Maringá e não em Sarandi.
    Outro aspecto é o seguinte; se há problemas para estes moradores, e querem definir estes limites para se atender melhor os moradores, eu até acredito nisto,, mas , em entrando em vigência a lei,, o cidadão dorme morando em Maringá,,e acorda morando em Sarandi..
    Sr. Ulysses Maia,,com certeza vários desses 1.9 mil moradores, votaram no senhor, por que confiaram em seu projeto de governo, se o senhor direta ou indiretamente pediu votos nestas localidades, o senhor avisou os até então seus eleitores, que eles não seriam mais maringaenses, e portanto não precisaria mais votar no senhor?
    O que quero alertar, ´que deveria ser consultado a população, que são os mais interessados. A lei não exige plebiscito neste caso, porém na criação de um município novo(quando se emancipa de um outro), a população é consultada. Logo, por analogia, seria ético e democrático, consultar os moradores, e não deixar por conta das autoridades dos dois municípios, decidirem por eles.
    Qto ao Dr. Batista que eu considero uma pessoa séria, onde está o compromisso com seu eleitor? Em consulta-lo, saber de sua vontade. Será que as prefeituras não teriam outra solução, já que estão se unindo para uma se livrar de “problemas” e a outra assumir atribuições alegando que irá aumentar sua verba no Fundo de Participação dos Municípios..Me parece leviano esta mudança da maneira que está sendo feita, porque não estão sendo democráticos para com os moradores,
    Quanto a reportagem não está claro..Se cidadãos que compraram terreno construíram isto em Sarandi,,,e por erro técnico, estão morando em Maringá,,,e já pensam que moram em Sarandi, já se envolvem com os serviços públicos de Sarandi,,e agora vão ser cidadãos de Sarandi,,ok..desconsiderem tudo que escrevi,.acho justo.
    A outra situação, seria bairros de Maringá serem incorporados a Sarandi,,, cidadãos que compraram e investiram achando que era Maringa,,pagam iptu em maringa,, e agora vao pertencer a Sarandi? E isto,?Quais bairros são? Se for esta última hipótese, na minha opinião , vai haver uma arbitrariedade contra esses moradores. Eles deveriam decidir.
    Saliento que se fosse o contrário,, pensaria do mesmo jeito.
    Quanto a reportagem espero mais esclarecimentos,,se for a segunda hipótese levantada, quais bairros Sarandi iria absorver de Maringá? Se for a primeira hipótese ok,,é justo que haja a mudança, porque então estaria legitimando o que já acontece na realidade.
    Pra finalizar, as manchetes trazem que Sarandi está ganhando 1.9 mil moradores novos,, mas deixam de enfatizar que Maringá pode estar perdendo 1.9 mil moradores,,,e o pior sem saber se eles querem isto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>