Problema a se resolver

Cachorro

Anunciada em época de campanha como uma das prioridades da administração Ulisses Maia, a questão animal ainda patina na Diretoria de Bem-Estar Animal.

As reclamações vão de problemas de relacionamento entre seus servidores, clínicas, protetores e ONGs, até a dificuldade para a liberação de castração de animais de propriedade de pessoas carentes.
Maringá tem reservada verba para castrar mais de dois mil animais este ano (R$ 110,00 são pagos às clínicas veterinárias autorizadas), mas a liberação é complicada.
Do outro lado, reclama-se que a Secretaria do Meio Ambiente, na estrutura montada este ano, teve seu número de servidores cortado pela metade, apesar de ter ganhado mais deveres.
Além de aguardar melhor receptividade – desconfia-se que há certa incompatibilidade entre a nobre missão da causa animal e os servidores nomeados para lidar com ela -, o pessoal também espera ação de Flávio Mantovani, considerado o vereador da turma.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

17 pitacos em “Problema a se resolver

  1. Pois é, estamos esperando ansiosamente para que a coisa comece mesmo a desenvolver, não pode ficar só na promessa, a cidade continua cheia de cachorros abandonados, uma tristeza isso.

    • O Sr. Akino…que tanto perseguiu a administração passada se cala perante ao caos que se aproxima…vive puxando o saco do prefeito acobertado as mazelas….ingenuidade ou proposital suas conjecturas….

  2. Infelizmente como em todas as instituições muitas vezes tem disputa de poder, disputa por destaque… senti isso na pele em 2016 quando procurei uma feirinha na tentativa de doar animais que estavam abandonados na rua (não eram filhotes de minha responsabilidade ou cria de minha cadela – ela é castrada antes do primeiro cio)…muitos chefes para poucos índios, sem contar no desdém que tratavam as pessoas que levavam animais para doar e até algumas pessoas que queriam adotar.
    Detalhe… levei os animais devidamente vacinados e castrados, SEM PEDIR AJUDA FINANCEIRA PARA NINGUEM.
    ___xx____
    Gostaria de sugerir ao vereador Flávio Mantovani que acredito que lerá esse comentário que destine os colchonetes dos CMEI’S que se encontram desgastados pelo uso das crianças para as ONGS / Abrigos na finalidade de aquecer os animais.
    Agora vai chegar o inverno e o sofrimento dos animais só vai aumentar… embora neste calor está um surto de carrapatos… no bairro em que eu moro está terrível…. o correto era ter uma campanha, distribuição de BUTOX ou qualquer outra atitude, tendo em vista que essa situação acaba se tornando uma questão de saúde pública.

    • Escrivão Aparício diz:

      Putz….gostei do comentário dessa pessoa das 16:56hs, afinal os bichinhos precisam de carinho e cuidado…Eu tenho duas cadelinhas de rua que adotei em frente de casa, e ás vezes só precisam de um colchão velho pra amenizar o frio…O s seres humanos tem prioridade, sim, mas toda forma de vida representa a manifestação de Deus, pra quem acredita é lógico….Parabéns anônimo…

    • comentando a respeito do assunto: estes colchões “inserviveis” são descartados em um barracão no Sol Nascente local próprio da prefeitura, após o descarte vai para o lixo, isto mesmo lixo, não vejo dificuldade para conseguir esta doação.

  3. Não está andando devido a certas pessoas que assumiram cargos sem serem efetivamente amiga dos animais .. não mostrou ainda a que veio ! Peço explicações por aqui mesmo, para que se diga por que se colocam pessoas sem o mínimo de condições …

  4. No jd Guairacá uma senhora d idade avançada trata sozinha d dezenas d cachorros, na rua, no início da nova gestão ela entrou em contato, um vereador da região foi lá, tirou foto e prometeu recolher os animais, ja se passaram quase 90 dias e os animais continuam lá, na parte da tarde quando não tem comida eles avançam nas pessoas q passam na rua, é triste de ver.

  5. É uma pena! Porque Ulisses sabe do problema. Fez várias reuniões sobre isso. Acontece que sua gestão não prioriza o que realmente deve priorizar. Todos os envolvidos com a questão estão desapontados com ele e com Flávio Mantovani. Usaram o assunto é não resolveram nada ainda.

    • E pelo jeito nao vão resolver. Criaram um setor para cuidar de animais mas não tem estrutura suficiente….somente uma pessoa nao consegue fazer nada…
      Pelo jeito foi apenas mais uma promessa para enganar o eleitor….como muitas outras….
      Prefeito precisa parar com populismo, demagogia, descer do palanque e começar a trabalhar…o que fez ate agora foram apenas maquiagem e ações populistas…para aparecer na midia….e tem cego que não enxerga e fica aplaudindo….

  6. Pois é, montaram uma diretoria sem estrutura! Não tem verba orçada! Não tem servidores para fazer o cumprimento da Lei! Querem gastar um absurdo, para um castramóvel que se na pratica não é efetivo e só serve de fachada, dinheiro que se investido na castração efetiva, teria melhores resultados! Não possui espaço adequado! Mais uma vez, a população sofre com a falta de planejamento! Pra variar, a administração é tipo, por fora bela viola, por dentro pão bolorento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>