A despedida

Tiziu

Nas mãos do padre Sidnei Fabril, o vira-latas Tiziu observa o corpo do padre Angelo Banki, de quem foi por anos companheiro, durante o velório, ocorrido na Igreja Matriz de Santo Cura D´Ars, em Paiçandu.
O sepultamento aconteceu no final da tarde, no distrito de Água Boa.

Em 2015, uma reportagem da RICTV mostrou a amizade entre o padre e o cachorrinho.
PS – No início dos anos 2000, morei na mesma rua do padre Angelo, em Paiçandu. Divulguei em primeira mão que ele havia adquirido uma sepultura no cemitério, o que virou notícia nacional. Anos depois, ele doou o terreno a uma família pobre que havia perdido um ente querido.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

4 pitacos em “A despedida

  1. Parreiras Rodrigues diz:

    No paraíso do animais, creiamos, toda a sorte de manifestações de carinho para com o padre Ângelo: cacarejos, miados, grunhidos, latidos, zurros, urros, chilreio, sibilos. As almas dos bem-te-vis se juntam às dos uirapurus, e com as marteladas das gralhas ao fundo, formam um magnífico coral para dizerem cantando, o quanto amam padre Ângelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>