De marcação

O Observatório Social de Maringá está fazendo marcação cerrada em cima da administração municipal, o que significa mudança de orientação, já que até então o OSM importava-se mais com o Legislativo.

Talvez justamente pela falta de costume, até agora, de vigiar o Executivo (o Sinax passou batido), a entidade exagerou ao dizer a setores da imprensa que houve “falta de transparência” na licitação para contratação de radares fixos, que acabou suspensa.
Pergunta-se: como pode faltar transparência numa licitação que reuniu 11 concorrentes?
Por conta do Observatório Social de Maringá, o município continuará por mais um tempo sem os radares, desligados há mais de um ano. Bom para os motoristas que costumam desrespeitar a legislação de trânsito.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

5 pitacos em “De marcação

  1. Na era (que “já era”) barrenta fazia de conta que fiscalizava os veredores para não fazê-lo aos Barros.
    E agora que NÃO é mais Barros e sim, Ulisses Maia, precisa ficar no pé?
    Dizer que falta transparência numa licitação com 11 (ops… número do azar dos barrosos) concorrentes?
    Em outros tempos (era barrenta) fazia-se vistas grossas à uma compra de pentes para as creches comprados por 1000% a mais do preço JUSTO.

  2. POR FAVOR ME CITE ALGUM ITEM POIS SO EXISTE NO PAPEL ESTE TALDE OBSERVATORIO SE EXISTE REALMENTE GOSTARIA DE SABER OU SER INFORMADO ESTE CORTE DE ARVORES DESCRIMINADOS PRINCIPALMENTE EM FRENTE AOS NOVOS EDIFICIOS ,MESMO OS ENGENHEIRO VENDO AS ARVORES FAZEM OS PORTOES ONDE EXISTE AS MESMA ACORDA OBSERVATORIO COMEÇEM A FOTOGRAFAR PARA VER.

  3. Rigon, gostaria de saber qual o prejuízo financeiro este cancelamento de licitação traz ao Município. Pois que eu saiba, preparar uma licitação não é nada barato. Sem falar das empresas de fora, que vieram participar e perderam a viagem. Se este cancelamento não tiver fundamento, o que acontece com o observatório? Ele arca com as conseqüências?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>