Sob investigação

No último dia 26 o Ministério Público Estadual (Direitos Humanos e Consumidor) instaurou três inquéritos civis públicos para apurar denúncia de que servidores públicos municipais teriam agenciado causas para patrocínio judicial entre consumidores atendidos por ele naquele órgão. Foram denunciados os servidores

Thiago Rodrigues Burim, Milton de Oliveira Ruiz Junior e Edon Fernando Albertoni Correa.
O Procon colabora com a pesquisa de provas, já que nenhum dos servidores do órgão pode indicar escritórios de advocacia aos consumidores e que um ofício circular com a ciência dos funcionários ressalta a proibição do uso de banco de dados para assessoria privada.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

4 pitacos em “Sob investigação

  1. Há poucos anos atrás , tivemos um servidor com OAB, exonerado por este mesmo motivo.
    todos sabiam até que um dia…

  2. Silva-servidor diz:

    Já precisei, e fui atendido algumas vezes no Procom, e por sinal muito bem atendido, são competentes e profissionais, o pessoal de lá,

    teriam que orientar as pessoas, que vão solicitar ajuda, para não pedirem nenhuma indicação, pois pode ser que os próprios sem saber na hora perguntaram sobre quem poderia ajudar, isso é comum,

    agora muitas coisas mais relevantes para serem abordadas..

    • É proibido, pronto e acabou.

      Por isso que esse país não vai para frente.

      O servidor tem a obrigação de saber disso.

Deixe seu pitaco