Pedido de intervenção

Faz 48 dias que a Convenção das Igrejas Evangélicas Assembleias de Deus do Estado do Paraná (Cieadep), com sede em Curitiba, recebeu pedido para intervir no campo eclesiástico de Maringá (Ieadcemar).

O pedido, encaminhado por pastores, evangelistas e fiéis, foi acompanhado de assinaturas e documentos que comprovariam, a prática de improbidade administrativa e ilegitimidade da atual presidência do campo. Doze itens são elencados no documento, que informa que a dívida da entidade ultrapassa hoje R$ 13 milhões e que tramitam na comarca doze ações, sendo sete de execução e cinco de execução hipotecária.
Um dos templos da Iead, na avenida Kakogawa, no Jardim Quebec, já foi transferido para uma administradora de consórcio.
O requerimento, sobre o qual a Cieadep ainda não se manifestou oficialmente, acrescenta que a situação de crise na administração da Ieadcemar tem levo a perda de vários membros e ministros, além da emancipação de onze campos eclesiásticos, o que enfraquece ainda mais a igreja. As práticas de gestão da atual diretoria, da qual se cobra prestação de contas, estão em desacordo com princípios estabelecidos inclusive no estatuto social da instituição.

Anúncios

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

2 pitacos em “Pedido de intervenção

  1. Francamente. A Record se superou em sadismo na cobertura do assassinato da menina Vitória. E a entidade dita religiosa que a mantém se esmera num comercial dum resort cuja diária é de 26 mil reais. Isso, você “adere’ à seita e seus negócios prosperam, casas, apês, automóveis, o escambau. O moço de Nazaré pergunta ao Pai onde foi que errou.

Deixe seu pitaco