As mudanças na Flim

Na 5ª edição da Festa Literária Internacional de Maringá, a primeira com a Secretaria de Cultura sob nova direção, promete-se maior participação de editoras e livrarias. Além disso, estará em novo local: sai do Centro de Convivência Comunitária Renato Celidônio para o estacionamento de entrada do Estádio Willie Davids.

Os espetáculos culturais acontecerão na travessa Jorge Amado. O poeta e cronista Fabrício Carpinejar está confirmado no evento, que tem curadoria do jornalista e escritor Rogério Pereira, diretor da Biblioteca Pública do Paraná.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

Um pitaco em “As mudanças na Flim

  1. Flim 2018 diz:

    Será que vão instalar tendas melhores, que realmente sejam à prova d’água? Porque tem livreiro reclamando até hoje da enxurrada em 2015, ou 2016, quando várias estantes ficaram encharcadas porque a equipe que cuida do local de madrugada foi INCAPAZ de esticar lonas sobre as estantes, pois as tendas são defeituosas e as calhas não funcionam. Aliás, podiam contratar uma equipe de segurança melhor, mais capacitada também. Um povinho tosco, ficam encarando os pardos e negros como se essas pessoas não pudessem estar ali. A Flim é pra quem gosta de ler, seus gorilas! Em terra de caipira iletrado, evento de literatura deveria ser incentivado.

Deixe seu pitaco