Cada vez mais triste

Enquanto Maringá se apruma, apesar de tudo, Londrina vive tempos de tristeza, o que, para muitos, é uma diferença enorme de gestão. Leia o que Claudio Osti, do Paçoca com Cebola, escreveu a respeito do Filo:

“Depois a gente fala que Londrina está ficando cada vez mais triste, o povo joga pedra. Lendo agora há pouco a matéria do jornalista Marcos Garrido, da CBN, informa que a organização do Festival Internacional de Londrina, confirmou que a edição 2018, que comemoraria os 50 anos do FILO, não será realizada este ano. Lembrando sempre que o Filo é um dos mais importantes e longevos festivais de teatro do Brasil.
O Festival teve o projeto aprovado pela Lei Rouanet, mas segundo Luiz Bertipaglia, diretor do FILO, apesar do esforço da organização e de alguns apoios fundamentais, como da UEL, e o patrocínio do Promic, os recursos necessários para a realização do festival não foram alcançados.
Luiz Bertipaglia explica que a falta de dois patrocinadores importantes e históricos foi decisiva para a não realização do festival: a Petrobras e a Caixa Econômica Federal desistiram de apoiar o projeto esse ano.
Bertipaglia diz que a missão agora é batalhar, junto com a comissão organizadora, para viabilizar a edição especial do FILO em 2019”.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

2 pitacos em “Cada vez mais triste

  1. Nelson Aida diz:

    Uma nação que ignora a importância cultural de um evento como o FILO e que já encheu de orgulho não só a cidade mas toda região e estado, reflete a real ignorância de nossos sofríveis gestores.

  2. Samuel da Silva diz:

    80% dos londrinenses votaram no Bozo. Você acha que estão preocupados com Cultura e teatrinho?

Deixe seu pitaco