Estive com o Divino…

…mas voltei para a vida normal. Calma gente, não interpretem mal, não foi uma ‘eqm’, pois ainda pretendo ver o Palmeiras campeão mundial, por aqui.

Falo de Ademir da Guia, meu ídolo dos tempos de Academia. Como torcedor do time mais vezes campeão do Brasil. Recebi um convite para um churrasco, numa chácara no final da Kakogawa (fazia tempo que não passava por ali) com sua presença e pude constatar a simplicidade e o quando ele é palmeirense e divulga.
Companhias agradáveis, pois quase todos eram palmeirenses, com alguns torcedores de rivais, mas de convivência harmoniosa como devem ser as relações humanas, boa música, e quero agradecer ao Mariucci, através de quem cumprimento todos os organizadores do evento. Destaco, mais uma vez, a simpatia e simplicidade do craque, que cantou o hino, tirou fotos com todos que quiseram, autografou camisas, em plena forma aos 76 anos na atual existência
Quantas lembranças do timaço formado. Leão, Eurico, Luiz Pereira, Alfredo e Zeca. Dudu e Ademir da Guia, Edu, Leivinha, César e Nei. Sem falar o antigo Valdir, Djalma Santos, Baldochi, Minuca, e Ferrari, Dudu e Ademir, Gildo, Ademar Pantera, Rinaldo e vai por aí Esses, juntos formariam qualquer 11 que pode ser chamado de timão. Que me perdoem os amigos corintianos.
Presenças políticas do vereador Mariucci, um dos organizadores, o Nilton assessor do deputado Enio Verri, assessores de diversos vereadores e o prefeito Ulisses Maia, representando pelos irmãos Tuca, a quem não conhecia e tive o prazer, e o Hércules. Eu, modestamente, representei todos os demais palmeirenses que não puderam comparecer.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

Um pitaco em “Estive com o Divino…

Deixe seu pitaco