Sem tungar poupança, Bolsonaro é menos aceito do que Collor

De Reinaldo Azevedo:

Bolsonaro tem, nos três primeiros meses de mandato, uma avaliação muito pior, por exemplo, do que a de Fernando Collor, que tomou posse no dia 15 de março de 1990 e confiscou a poupança dos brasileiros no dia seguinte. Ainda assim, apenas 19% o consideravam ruim ou péssimo nessa fase inicial, contra 30% que dizem o mesmo do atual presidente.

O ex resistia com 36% de ótimo ou bom, contra 32% do atual mandatário. A comparação com os petistas, seus antípodas ideológicos, não é nada boa para o capitão reformado: Lula obteve em período semelhante 45% de ótimo/bom e só 10% de ruim/péssimo. Deixou o segundo mandato consagrado, como o chefe do Executivo mais bem avaliado da história. Leia mais.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

2 pitacos em “Sem tungar poupança, Bolsonaro é menos aceito do que Collor

  1. Gozado que essas pesquisas só são feitas na porta de Petistas, eu mesmo nunca fui pesquisado, gostaria de saber aqui no Blog quem já foi??????

Deixe seu pitaco