Em benefício próprio, o Ministério Público agiu rápido

De Zé Beto:
O Ministério Público do Paraná não dormiu de touca. Um dia depois de o Tribunal de Justiça regulamentar o auxilio-moradia, Gilberto Giacoia, procurador-geral de Justiça, assinou a resolução estendendo o benefício aos 702 procuradores e promotores que receberão, retroativamente a março, quando os deputados estaduais aprovaram e o governador Beto Richa sancionou a coisa, entre R$ 3,2 mil e R$ 4,4 mil sem descontos. O texto da resolução do MP, oficializada na quinta-feira da semana passada, segundo revela a edição de hoje do jornal Gazeta do Povo, é idêntico ao do Tribunal de Justiça. O custo aos cofres públicos é um pouco menor, chegando aos R$ 27,3 milhões anos. Juntando com com 32,4 milhões que juízes e desembargadores receberão por existirem e morarem sob um teto, a ninguenzada vai colaborar com cerca de R$ 60 milhões por ano para que a turma da capa preta e os que zelam contra as injustiças recebam algumas moedas a mais todo final de mês. É o horror!

Anúncios

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

11 pitacos em “Em benefício próprio, o Ministério Público agiu rápido

  1. Regininha diz:

    Este seria mais um ótimo motivo para ir às ruas. Cadê o povo do protesto?!? Ah, tá! Deve estar assisitindo à Copa!!!

  2. Chamar R$4.400,00 de algumas moedas deve estar ganhando muito. A turma do Lalau, Demóstenes, Gilmar e do arrependido Joaquim, pintam e bordam nesse País. Para os anarquistas da democracia não existe problemas orçamentários nem financeiros. Como fica o discurso tucano de enxugar a máquina para economizar recursos? Ou essa massa de perdulários, unha e carne com os tucanos, não faz parte dos déficits orçamentários e dívidas do estado?

  3. Carlos Noel Mazia diz:

    Uma grande quantidade de pessoas vivem atacando o governo federal por conceder bolsa família a um grande contingente de de necessitados, como forma de combate à pobreza. No entanto, tais pessoas se calam diante desse absurdo. Absurdo, pois essa prática, para mim, favorece a formação de castas em detrimento da democracia, dos direitos iguais para todos.

  4. MACARRÃO diz:

    carlos mazia: vc sabe que em todos lugares onde foram feitas as casas existem pessoas que não poderiam tê-las? e as que deverias tê-las não as tem? acho que quando vc. recebe alguma coisa do governo federal tem que haver alguém para fiscalizar?

    • Carlos Noel Mazia diz:

      E por conta disso, alguns ganharem bem mais que a maioria dos mortais?! Ter privilégios por conta de sua obrigação de fiscalizar?! Não sei se é o caso dos promotores, mas o fato de um juiz receber como castigo uma gorda aposentaria, quando comete um deslize, não constitui um privilégio de castas?! Quando um funcionário público comum, comete um crime, é demitido e “sai com uma mão na frente e outra atrás”.

    • Carlos Noel Mazia diz:

      Sei sim, mas desconfio também que existem pessoas que não deveriam receber bolsa família e recebem. A quem compete averiguar isto?

  5. Absurdo um trabalhador trabalha mais de 35 anos e tem uma aposentadoria minguada.

    Professores são obrigados a estudarem e formam juízes e promotores e quanto ganham?

    Enfermeiras quanto ganham neste nosso país é uma vergonha!

    Este nosso país nunca será de primeiro mundo oferecendo vantagens e classes privilegiadas.

    Antonio

  6. Pois e oferecer bolsa família a quem realmente precisa e compra de voto como dizem por ai, e esta prática de dar os que ja tem muito o que é? O salário deles e muito baixo por isto estão precisando desta ajuda. So mesmo esta turma para fazer isto, e se fosse do PT com certeza todos estavam chegando a ripa agora. Mas o garoto rico ninguem vai fazer nada.

  7. Bia Corrêa diz:

    Deputado Estadual Tadeu Veneri solicita informações:

    REQUERIMENTO – PEDIDO DE INFORMAÇÕES
    Requer envio de pedido de informações ao Excelentíssimo Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, Desembargador Luiz Gomes.
    O Deputado Estadual Tadeu Veneri, no uso de suas prerrogativas, REQUER à Mesa Diretora, com base nos artigos 54, XXVII, e 55 da Constituição do Estado do Paraná e na forma dos artigos 18, XIX, 131, 3º, IX e 134, do Regimento Interno da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, o envio de pedido de informações ao Excelentíssimo Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, Desembargador Luiz Gomes, para que forneça as informações referentes à resolução 107 de 02 de julho, sendo publicada no Diário da Justiça 1366. Como a resolução não se revela esclarecedora sobre o alcance do auxílio-moradia, se faz necessário o esclarecimento das seguintes informações.
    1º) Os magistrados que têm residência própria serão beneficiados pelo auxílio-moradia?

    2º) Quantas residências o Poder Judiciário possui, em quais municípios e quantos magistrados são beneficiados?
    3º) Há algum município que oferece moradia para o magistrado? Em caso afirmativo, quais municípios e quantos magistrados são beneficiados?
    4º) O magistrado que optar pelo recebimento do benefício também poderá, ao mesmo tempo, continuar se utilizando das casas judiciarias ou residências pagas pelo poder público municipal?
    5º) O benefício é estendido aos pensionistas e aposentados?
    6º)Qual será o impacto financeiro da implementação do auxílio-moradia aos magistrados no Estado do Paraná e qual o valor previsto no orçamento 2014/2015?
    Sala das Comissões, 08 de julho de 2014.

  8. Rigon estou indignada e acho que a sociedade civil tem que se organizar e se manifestar de forma eficiente. Por favor nos ajude

Deixe seu pitaco