Segundo turno no Congresso

De Ilimar Franco, em O Globo:
Partidos e consultores estão convencidos que o escândalo Petrobras terá efeito devastador na Câmara. Avaliam que em março haverá uma espécie de nova eleição, com dezenas de suplentes assumindo mandatos. Já foram citados 25 deputados e seis senadores, mas os políticos especulam que vem mais. Eles preveem que os envolvidos não apenas serão cassados, mas também presos. E justificam: nada será como antes depois do mensalão.

Reação em cadeia?
Mas os parlamentares não serão os únicos a pagar a conta. Depois do que ocorreu com empresários no julgamento do mensalão, cientistas políticos garantem que os representantes das empreiteiras que foram citados pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa terão o mesmo destino do publicitário Marcos Valério e da banqueira Kátia Rabello, entre outros. A lista inicial é composta por 11 executivos. Nesse processo, avaliam que o julgamento será mais rápido, pois a delação premiada implica em apresentação de provas. Além disso, não é conhecida a reação desses profissionais diante da condenação à prisão. Eles também poderão optar pela delação premiada.
“O Congresso está acuado com o escândalo Petrobras. Não vai ficar pedra sobre pedra. O foco do juiz são os corruptores. Eles estão na linha de tiro”

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.