Vereadores estariam por trás de crimes, insinua secretário

MG1

pilattiO secretário de Turismo de Paiçandu, Edson Leonardo Pilatti (PT), insinuou em seu blog e no Facebook que vereadores da cidade estariam por trás de furtos e arrombamentos em próprios públicos daquela cidade. O prefeito, Tarcísio Marques dos Reis, Pilatti, manobra judicialmente há mais de uma semana, impedindo que a Comissão Processante instalada para averiguar seu envolvimento com o desvio de pneus doados pela Receita Federal àquele município, leia o parecer final, que recomenda a cassação do chefe do Executivo.
A CP é formada por Diego Sanches (PT), Marcelo Neth Enumo (PSL) e Antônio Araújo da Costa (PT), Pilatti (foto), ex-assessor do deputado Rosinha (PT) e que desde o início de junho substitui Valdir Fonseca (PT), afastado por judicialmente por conta do escândalo dos pneus, fez a insinuação numa postagem intitulada “O crime como instrumento político em Paiçandu?”. Leia: 
“Um intenso debate político “envolve” o município de Paiçandu nos últimos dias. A CP (Comissão Processante) da Câmara de Vereadores (sobre o caso dos Pneus) não conseguiu o seu objetivo! Faltou competência aos “vereadores golpistas” para efetivar a cassação do Prefeito Tarcísio Marques dos Reis, também faltou coerência e credibilidade, mas faltou, acima de tudo, compromisso com a cidade e com o povo Paiçanduense!
A comissão processante não deu em nada!
No entanto, de forma desesperada, alguns crimes estão sendo praticados em órgãos públicos municipais.
Assaltos em escolas e creches!
Retirada criminosa de faixas de divulgação dos eventos da Prefeitura!
Assalto duplo e roubo de equipamentos da Casa da Cultura.
Entre outras ações criminosas que tem fortes evidências de praticadas por motivações políticas.
Serão apenas coincidências?
A linha de investigação da policia deverá considerar o “fervor golpista” como uma “hipótese de investigação” dos crimes cometidos nos últimos dias em Paiçandu, pois podem ser apenas desespero de perdedores na tentativa de desestabilizar a credibilidade da Prefeitura junto à população!
O que vemos, infelizmente, é uma ação que prejudica o município, que pode ter nesse tipo de ação, um aprofundamento do preconceito em relação à cidade, que é “vendida” como violenta e não segura, prejudicando o comércio e a economia local, vende-se menos quando a cidade não atrai visitantes e novos moradores, que são os vetores do desenvolvimento econômico de um município. Quem perde é o empresariado local e a população como um todo!
Com a palavra a polícia civil e a justiça!” (sic)

MG1

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.