Perna curta

MG1

FB

Ao falar esta semana à imprensa gaúcha, o ministro interino da Saúde, Ricardo Barros (PP), citou vários dados errados. Foi preciso que o Grupo Hospitalar Conceição divulgasse um esclarecimento à população para colocar as informações verdadeiras (leia abaixo a nota na íntegra).
Nas redes sociais, houve protesto contra as mentiras.

MG1

“Esclarecimentos à população sobre o GHC
Vinculado ao Ministério da Saúde, o Grupo Hospitalar Conceição (GHC) forma a maior rede pública de saúde do Sul do país, com atendimento 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Com uma oferta de cerca de 1.500 leitos, é responsável pela internação de 56,7 mil pessoas por ano. A missão institucional do GHC é oferecer atenção integral à saúde, com acesso, qualidade e eficácia organizacional, e desenvolver ações de ensino e pesquisa, fortalecendo o Sistema Único de Saúde.
Em esclarecimento às informações veiculadas na imprensa e conforme dados oficiais do Ministério da Saúde, o GHC realizou o dobro de atendimentos e exames do que a instituição mencionada pelo sr. Ministro da Saúde, Ricardo Barros, em entrevista a uma emissora de rádio da capital na manhã desta quinta-feira (30/06) – que também presta relevantes serviços para a rede de atenção à saúde do Rio Grande do Sul.
Em percentuais, o GHC realiza 33% de toda a produção do SUS na Capital (exames, procedimentos e consultas), 50% do total de partos de Porto Alegre, bem como possui a maior emergência clínica em número de atendimentos e o maior hospital de traumatologia da Capital. Também oferece de forma gratuita cursos técnicos e de pós-graduação na área da Saúde. Na Atenção Básica, o GHC possui 39 equipes de Saúde da Família que atendem 105 mil pessoas na Zona Norte de Porto Alegre, oferecendo atendimento de excelência da prevenção ao tratamento, com equipes multidisciplinares – médicos de família e comunidade, enfermeiros, odontólogos, psicólogos, assistentes sociais, dentre outros profissionais. Há 35 anos essas unidades são campos de formação de profissionais para o SUS, dentre elas a residência médica e multiprofissional.
Outra informação relevante é sobre o quadro de funcionários, que hoje corresponde a cerca de 9.500 trabalhadores, que ingressaram via processo seletivo nos últimos anos em atendimento à portarias do Ministério da Saúde e reivindicações oriundas da sociedade civil para a qualificação da assistência em saúde. No GHC, a proporção é de 5,5 funcionários por leito, enquanto os hospitais de ensino têm em média 7 funcionários por leito. E de forma transparente, o GHC informa que podem ser contratadas apenas 31 pessoas de cargos de livre nomeação e exoneração – gerência, assessoria técnica, assistência da diretoria e diretoria. Os demais cargos com função gratificada são servidores do quadro.
O orçamento total anual do Grupo Hospitalar Conceição é de R$1,3 bilhão (ao invés dos R$ 3 bilhões divulgados pela imprensa). A estrutura é formada pelos hospitais Conceição, Criança Conceição, Cristo Redentor e Fêmina, além da UPA Moacyr Scliar, de 12 unidades de saúde do Serviço de Saúde Comunitária, de três Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), Consultório na Rua e do Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde – Escola GHC.”

MG1

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.