Justiça suspende reuniões de Bovo; MP pede o afastamento do prefeito e do secretário

pupin-bovo

O juiz eleitoral Alexandre Kozechen, da 66ª Zona Eleitoral, atendendo representação proposta pelo Ministério Público Eleitoral, determinou o fim das reuniões em que o secretário de Fazenda e de Gestão de Maringá, José Luiz Bovo (PP), pretensamente para falar de gestão fiscal aos funcionários públicos municipais.
O promotor Maurício Kalache havia pedido o afastamento do cargo do prefeito Carlos Roberto Pupin (PP) e do secretário, por crime eleitoral, mas o juiz negou.


Também foram representados os candidatos da coligação Mudança Que Dá Certo, Silvio Barros II (PP) e Akemi Nishimori (PR). O juiz estabeleceu multa de R$ 100 mil por reunião realizada.
De acordo com a representação, as reuniões – com ocupantes de cargos comissionados e servidores de carreira – são em verdade propaganda eleitoral do candidato da situação, com abuso da estrutura material e dos recursos humanos da Prefeitura de Maringá. A conduta é vedada pela legislação eleitoral.
O Ministério Público solicitou o afastamento do prefeito e do secretário, impedindo a entrada dos dois no paço municipal até o dia das eleições municipais. O MPE deverá recorrer da decisão, insistindo no afastamento. Confira a liminar abaixo:

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.