Frustrado

Assim estou me sentindo, ao tomar conhecimento, pelo Band Notícias, apresentando pelo meu valoroso amigo Milton Ravagnani, que a prestação de contas do último quadrimestre da gestão Pupin/Barros, com consequente demonstração da situação herdada pela administração Maia/Scabora, foi feita ontem, sem muita divulgação, sem convocação pública, transmissão pela internet ou gravação disponível. Faltou transparência, caro prefeito Ulisses Maia, e o V. Excia havia prometido que seria uma verdadeira audiência pública.

A propósito, Ravagnani, informou que que o saldo herdado é de mais de R$ 300 milhões, e com a arrecadação dos primeiros 50 dias, a gestão Maia/Scabora já teria quase R$ 700 milhões para trabalhar, salvo engano, comentando que não há desculpas para não fazer. Penso que não é bem assim, que muitos recursos são carimbados, que ele faz confusão com os depósitos judiciais, que já estão somados, que os quase R$ 70 milhões do terminal intermodal são uma incógnita, que há muitas dívidas, compromissos. Enfim, faltou explicar quanto efetivamente de recursos livres foram deixados pela gestão anterior. Para uma administração que se propõe a ser inovadora e transparente, fica uma leve frustração.
Detalhes aqui.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.