Pulando fora do barco

A Federação das Indústrias do Paraná divulgou uma nota se posicionando sobre o cenário político, e esclarece ao final que o deputado federal Rodrigo Rocha Loures “não mantém vínculo com a entidade”. Confira:

“Diante das últimas denúncias divulgadas pela imprensa, envolvendo importantes autoridades da República, a Federação das Indústrias do Paraná pede sensatez e responsabilidade a todas as esferas da sociedade.
Pela gravidade dos fatos, caso confirmadas as denúncias, sugerimos que o presidente da República, um homem que se diz legalista, renuncie a seu cargo. Esse gesto será importante para que o país não precise passar por um novo e desgastante processo de impeachment, que se mostrou danoso para toda a nação. É preciso ainda que sejam obedecidos todos os ritos constitucionais para a eventual definição de um novo presidente da República.
Em mais este momento difícil vivido pelo país, a entidade se solidariza com a população brasileira. É fundamental que toda a sociedade, com união e serenidade, mostre que o país é muito maior do que interesses de grupos políticos ou partidários que vêm se servindo do país, ao invés de servir a seu povo.
Esclarecimento
A Fiep esclarece que o deputado federal Rodrigo Rocha Loures não mantém vínculo com a entidade. Durante a gestão anterior da Federação, ele participou de alguns Conselhos Temáticos, dos quais deixou de fazer parte desde o primeiro mandato da atual diretoria, iniciado em 2011. O parlamentar é filho do empresário Rodrigo Rocha Loures, que presidiu a Federação entre 2003 e 2011. Atualmente, o ex-presidente também não mantém qualquer vínculo com a Fiep”.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.