Três perguntas sobre a Meta4

Por Walter Praxedes:

De acordo com o site oficial da empresa espanhola Meta4:  “A Meta4, com 1.300 clientes em 100 países, gere mais de 18 milhões de pessoas em todo o mundo.

Desde o seu centro de I+D+i situado em Espanha (Madrid) desenvolve aplicações de Recursos Humanos capazes de cobrir as necessidades locais e globais de todo o tipo de organizações.
As soluções Cloud da Meta4 disponibilizam aos profissionais de Recursos Humanos a tecnologia mais inovadora com a melhor experiência de utilizador para gerir o ciclo completo dos seus empregados, desde as Remunerações e Administração de Pessoal até à Gestão Global do Talento. Uma solução integrada que aproveita as vantagens da cloud para responder a todos os desafios de gestão do Capital Humano, aumentando a produtividade e eficiência das empresas”.
O presidente da equipe que dirige a Meta 4 é o senhor Emile Hamou (foto).

Primeira pergunta:
Porque os servidores públicos do Estado do Paraná, Brasil, incluindo os servidores operacionais, técnicos e docentes das nossas Universidades, devem ter suas carreiras profissionais administradas através de um Software de uma empresa transnacional dirigida por um executivo que nem conhecemos?

Segunda pergunta:
Por que nós, que trabalhamos e vivemos no Paraná, não podemos criar um sistema de gestão e controle de pessoal das IES paranaenses que seja democraticamente construído com a participação dos agentes governamentais, representantes da sociedade civil e acadêmicos, e que respeite a necessidade de autonomia universitária e à cultura local?

Terceira pergunta:
Quais os verdadeiros motivos que levaram os Governos do Estado do Paraná à contratação dos serviços dessa empresa transnacional e a imposição do uso do software Meta4 no nosso Estado?

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.