Fábrica de caminhões não veio para o Paraná porque ‘não tinha propina’, diz Tony Garcia em entrevista

Na primeira parte da entrevista a jornalistas da Gazeta do Povo, Tony Garcia disse que uma fábrica de caminhões da China não conseguiu se instalar no Paraná porque “não tinha propina”.

Disse ele (1:12.40): “Eu tentei trazer vários negócios para o governo, que eram fantásticos. Trazer uma fábrica de caminhão para o estado do Paraná, entendeu? Um grupo chinês fantástico, forte. Tentei trazer, eles queriam ver o terreno, queriam ver tudo. Eu não conseguia levar o projeto pra frente porque era uma coisa que tinha que implementar e não tinha propina”.
Ele se referia à Sinotruk, que vinha negociando com o então secretário de Indústria e Comércio, Ricardo Barros, desde 2011. O investimento anunciado era de R$ 300 milhões. Depois de Barros ter dado como certa a fábrica no Paraná (possivelmente em Ponta Grossa), a empresa preferiu Lages, em Santa Catarina. Resta Tony Garcia detalhar quem pediu propina.
A respeito da Sinotruk, o blog fez duas postagens em 2012 e chegou a antecipar que a fábrica não viria para o Paraná, mesmo depois de RB ter passado semanas na Suíça e na China – para onde foi, aliás, depois de exigir viajar de primeira classe.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.