Se…

Se o deputado Fernando Francischini for cassado, como quer o Ministério Público Eleitoral, Maringá perderá um deputado estadual eleito: o vereador Paulo Rogério do Carmo, do PSL. É o que aparece nas contas de assessores, segundo Roseli Abrão.

Ela explica: Francischini foi eleito com 427.749 votos que, no caso de cassação, seriam considerados nulos. Com isso altera-se o coeficiente eleitoral (dos atuais 105 mil para 97 mil votos para eleger um deputado) e, por consequência, o número de votos que cada coligação ou partido precisa obter para ter direito a uma cadeira.
Com essa nova fórmula, o Partido Social Liberal ficaria reduzido pela metade. Dos oito deputados que elegeu, totalizando 808.458 votos, passaria a ter apenas quatro deputados.
Ficariam de fora os deputados Subtenente Everton, Emerson Bacil, Do Carmo (foto) e Missionário Ricardo Arruda.
Por outro lado, as bancadas que ganhariam parlamentares seriam, pela ordem, o MDB com o deputado Nereu Moura, o PRP com o deputado Adelino Ribeiro, o PV com o deputado Pedro Paulo Bazana e o Podemos com o deputado Luiz Carlos Gibson.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.