Deputado pede vista em projeto pró-autistas, é apupado e volta atrás

O deputado estadual Homero Marchese (Pros) foi apupado na tarde de hoje, durante sessão da Comissão de Constituição e Justiça, por mães de autistas, que reclamaram de um pedido que atrasaria a apreciação de projeto que beneficia portadores da psicopatologia .

Ele havia pedido vista no projeto do deputado estadual Márcio Pacheco (PDT) que altera lei de 2015 para isentar do pagamento de pedágio pessoas com transtorno do espectro autista, em tratamento fora do município de seu domicílio. O relator foi o deputado Nelson Justus (DEM).
Ele recuou do pedido após os apupos e do pedido feito por outros três deputados, para que reconsidere o pedido de vista, uma vez que isso atrasaria a tramitação do projeto, que ainda será apreciado em plenário. O deputado argumentava que a isenção quebraria a garantia dos contratos. As mães de autistas presentes à reunião da CCJ reclamaram de imediato. O presidente da CCJ, Delegado Francischini, que teve que pedir silêncio às manifestantes, depois foi um dos que pediram que ele voltasse atrás, usando sua condição de pai de uma criança e pela proximidade do Dia do Autista (2 de abril). Após 8 minutos de debates, ele abriu mão do pedido, para alívio das mães de autistas presentes e dos que consideram que o ato também beneficiasse as concessionárias.
Dias atrás, nas redes sociais, o deputado manifestou-se a favor do acordo entre Ministério Público Federal e CCR Rodonorte, para uma redução no valor do pedágio. O acordo é considerado prejudicial aos usuários e benéfico às pedagiadoras, uma vez que o valor a ser abatido é ínfimo em relação ao que foi ganho irregularmente ao longo dos últimos anos. A posição do parlamentar foi criticada nas redes sociais.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.