O futuro de Moro

De Elio Gaspari, na Folha de S. Paulo:

O ministro Sergio Moro deu dois sinais públicos de cansaço.

Outro dia ele defendeu seu projeto de leis contra o crime dizendo que “o governo não pode agir como um avestruz (…) tem que se posicionar e liderar, com o Congresso, a mudança de um sistema de leis que favorece a impunidade para um de responsabilidade”.
O governo é onde ele está.
Durante sua passagem por Lisboa disse que ir para o Supremo Tribunal Federal “seria como ganhar na loteria”. O ministro esclareceu que seu objetivo “é apenas fazer o meu trabalho”, mas ficou claro que está de olho no bilhete premiado.
A primeira vaga só ocorrerá em novembro do ano que vem.

(Foto: Rovena Rosa/ABr)

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

Deixe seu pitaco