Paralisação

Ao anunciar sua adesão à greve nacional em release, a Seção Sindical dos Docentes da UEM (Sesduem) trocou o “s” pelo “z” na palavra paralisação.

PS – Ontem o blog também errou, ao referir-se a uma colmeia de abelhas, na frente de uma agência bancária. Colmeia só pode ser de abelhas. Houve a devida correção.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

4 pitacos em “Paralisação

  1. Voz do povo diz:

    O ILG JÁ FOI UM DIA, REFERENCIA PARA A CIDADE, ATENDENDO MUITOS ALUNOS, O LEPAC SEGUE O MESMO CAMINHO,

    O Lepac está para a UEM, assim como o ILG foi um dia!!

    Coitados dos alunos, novamente sendo USADOS como massa de manobra! Por que os alunos vão paralisar, no dia 15, devido ao LEPAC, quais alunos utilizam o Lepac? Não faz o mínimo sentido, a grande maioria dos alunos são das humanas, exatas, tecnológicas, nada a ver com a área saúde.

    Quem o LEPAC atende? o SUS da região!

  2. James Garlic diz:

    No caso, da colméia, não vejo erro, pois depende do contexto. Poderia ser uma figura de linguagem ou se referir a outro tipo de estrutura parecido com uma colméia de abelha de fato, mas poderia ser também de marinbondos. Por exemplo, um caso onde a palavra colméia é usada e não é de abelha é no filme da saga Resident Evil, em que a colméia se refere a uma estrutura de laboratórios subterrâneos da empresa umbrella que desenvolve um vírus capaz de transformar as pessoas em zumbis.

  3. Contribuinte indignado diz:

    Esse é o resultado de mais de 24 anos da “pátria educadora”
    Podem investir o valor que eles acharem necessário, a educação vai continuar a mesma, o problema não é dinheiro, é foco, enquanto o foco da aplicação do dinheiro público (nosso dinheiro dos impostos) for na educação superior, e esquecermos a base da pirâmide educacional, teremos analfabetos funcionais cursando o ensino superior no Brasil, e invariavelmente, na área de humanas.

Deixe seu pitaco