Vou ser acre…

… com Bolsonaro. Aprendi mais uma com o senador Kajuru, que a palavra acre não é somente um nome de estado. Acre é um adjetivo que significa que tem muita acidez, picante, agudo, rude, desagradável.

Então, seria acre com o presidente Bolsonaro para dizer que talvez o presidente Macron não tenha errado ao dizer que ele tinha mentido, pois quem mente sobre a carta branca que teria dado do ministro Sérgio Moro e agora vem dizer que quem manda é ele, quer dizer que não dá carta branca, coisa nenhuma, pode até não ter mentido, mas omitido sua real intenção. Outra coisa, aquele comentário sobre a esposa do presidente da França é típico de jovem sem noção. Não acredito que tenha sido o presidente que o fez ( talvez um filho) e os filhos têm complicado a gestão. Se o problema for diferença de idade, entre casais, como bem lembrado por José Maria Trindade, Bolsonaro não pode falar nada, pois o seu caso é inverso. Talvez falasse de beleza e aí é muito subjetivo.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

Deixe seu pitaco