Quadro Negro: primeiras sentenças

Quase quatro anos após as primeiras denúncias envolvendo acusados de participar do esquema investigado pela Operação Quadro Negro, o juiz da 9ª Vara Criminal de Curitiba, Fernando Bardelli Fischer, deu sentença relativa a 15 réus – condenando uns, absolvendo outros ou aplicando a vários os benefícios acordados em delações premiadas. A informação é do site Contraponto.

As denúncias foram apresentadas pelo Ministério Púbico Estadual em 2015 após comprovação de desvios de cerca de R$ 20 milhões (em valores da época) de recursos que deveriam ter sido aplicados pelo governo do estado na construção e/ou reforma de sete escolas públicas de Curitiba e região metropolitana.
Nesta primeira ação penal com transito em julgado na primeira instância, não figura o ex-governador Beto Richa e assessores e amigos acusados de atuação no recolhimento de propinas. Eles são réus em outros processos da Quadro Negro. Entre eles está o ex-vereador curitibano Juliano Borghetti, irmão da ex-vice-governadora Cida Borghetti (PP), acusado de exigir e receber propina de R$ 15 mil da Valor, construtora envolvida nas denúncias.
Aqui, a íntegra da sentença.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.