Promoção do desenvolvimento e projetos bem elaborados dominam pauta de reunião da Amusep

Ações para promover o desenvolvimento territorial e impactar na vida da população residente na região e a necessidade de os gestores públicos investirem na elaboração de projetos para a execução de obras e aquisição de equipamentos. Os dois assuntos foram a tônica da reunião mensal dos prefeitos das cidades da área de abrangência da Associação dos Municípios do Setentrião Paranaense. O encontro foi realizado na tarde desta sexta-feira (quatro), na sede da entidade, em Maringá.

O primeiro tema da reunião foi a Unidade Mista de Desenvolvimento Territorial. A iniciativa, inédita no Estado, reúne a Amusep, a Universidade Estadual de Maringá, o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e o Núcleo Regional da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab). O presidente da Amusep, prefeito de Atalaia, Fábio Fumagalli Vilhena de Paiva, destaca que a ideia surgiu durante uma visita dele ao reitor e o vice-reitor da UEM, professores Júlio César Damasceno e Ricardo Dias Silva. O encontro, na Reitoria da Universidade, ocorreu no dia 25 de março deste ano.

LÓGICA
A partir daí, recorda Júlio Damasceno, houve uma mobilização da equipe de pesquisadores da UEM e da Emater e Seab, por causa da atuação na área da agricultura familiar. O professor William Mário de Carvalho Nunes, do Departamento de Agronomia da Universidade, explica que iniciar o projeto de Desenvolvimento Territorial pelo segmento agrícola segue uma tendência lógica representada pelo desempenho do setor no Produto Interno Bruto (a soma de todas as riquezas produzidas) regional. Uma das propostas da Unidade, afirma o chefe do Núcleo Regional da Seab, em Maringá, Jucival Pereira de Sá, é proporcionar fontes de renda para fixar o homem no campo, principalmente as novas gerações, com qualidade de vida e bem-estar social.
Fábio Vilhena acrescenta que, no próximo dia 15, a apresentação feita aos prefeitos será levada para o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Anacleto Ortigara, e para o superintendente Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Nélson Bona. Uma comitiva da região será recebida pelas autoridades do governo paranaense na sede da Seab, em Curitiba. “Nossa meta é criar um modelo de projeto para ser replicado em todas as regiões do Paraná”, ressalta o gerente Regional do Instituto Emater, em Maringá, César Miguel Candeo dos Santos.

PARANACIDADE
A recomendação sobre a necessidade de os prefeitos investirem na elaboração de projetos bem dimensionados e de acordo com as normas em vigor foi feita pelo superintendente executivo do órgão, Álvaro José Cabrini Júnior. Em tom de alerta, disse que as “não conformidades” são o principal motivo pelo atraso na liberação de obras e da compra de máquinas e equipamentos. Ele aproveitou para elogiar o Departamento de Engenharia e Arquitetura da Amusep, que “presta um serviço relevante aos municípios da região” e por ser um modelo para as entidades do gênero.
Cabrini, que é maringaense, adiantou, ainda, quais assuntos vão dominar a pauta do Governo do Estado nos próximos três anos. Um deles é a substituição das luminárias da rede de iluminação pública. Saem as lâmpadas de vapor de mercúrio e de sódio. Entram as de LEDs. “A lâmpada de LED é mais econômica e dura mais”, resume. A instalação de “usinas de energia solar” é outra prioridade. Antes, porém, de dimensionar e instalar os painéis fotovoltaicos será feito um estudo para reduzir o consumo, com a troca de aparelhos instalados nos prédios públicos. Haverá linhas de crédito específicas para financiar as duas iniciativas e os projetos serão executados em parceria e sob a supervisão dos técnicos da Companhia Paranaense de Energia.

CONCRETO
O superintendente do Paranacidade comentou, também, que o olhar do governo está voltado para facilitar o acesso a “tecnologias consagradas” no mundo e viáveis economicamente de serem adotadas no processo de implantação de “cidades inteligentes”. “Vamos, inclusive, recomendar os cuidados na hora de fechar os contratos com os fornecedores, para evitar o uso de produtos de qualidade inferior e de mão de obra desqualificada”, declarou.
Preocupado com a “gangorra” no preço do petróleo, provocada por uma nova tensão no Oriente Médio, com a possibilidade de os países deflagrarem guerra, e pela queda de braço entre os Estados Unidos, Rússia e China, o governador Carlos Roberto Massa Júnior, Ratinho Júnior, e a equipe dele decidiram que vão substituir a pavimentação asfáltica pela pavimentação em concreto. “O custo é menor, tanto na implantação quanto na manutenção”, frisa.

MAPEAAMENTO
Durante a reunião, o presidente da Amusep anunciou a realização do Mapeamento Temático Integrado de Uso e Ocupação do Solo do Estado do Paraná (Promapa). Fábio Vilhena lembrou que as negociações para a execução do projeto começaram na gestão passada, do presidente André Luís Bovo, prefeito de São Jorge do Ivaí, e que, após quase um ano, houve a confirmação por parte do Palácio Iguaçu. Para o início do levantamento, as prefeituras precisam indicar o secretário, normalmente, o de Agricultura e Meio Ambiente, e um técnico para serem a referência nos municípios. Os extensionistas do Instituto Emater também vão estar mobilizados. (Amusep)

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.