Conselheiro tutelar diz que pleito teve uma ‘chuva de irregularidades’

O conselheiro tutelar Carlos Bonfim protocolizou no Ministério Público ofício com as irregularidades ocorridas na eleição de domingo. O burburinho de que o processo desta vez esteve viciado já vinha sendo ouvido nos bastidores.

Segundo Bonfim, que não conseguiu a reeleição, houve uma “chuva de irregularidades” no pleito. Entre eleas citou locais de votação diversso do informado na listagem fornecida pela comissão eleitoral organizada pelo TRE-PR, e dá dois exemplos; fiscais desinformados quando solicitados pelos eleitores sobre qual local correto teriam que votar, quando seu colégio de votação estava em desacordo com o local indicado em listagem fornecida pela comissão; a falta de cartaz informativo nos colégios eleitorais que foram agregados a outros colégios de votação, dificultando e/ou obstruindo assim eleitores de participar da escolha dos conselheiros e, o que os bastidores comentam mas é de difícil comprovação, a denúncia de transporte de eleitores, inclusive utilizando Uber, e a realização de boca de urna.
Na relação há fatos que, comprovados, podem anular o pleito eleitoralç de domingo. Restará ao MP realizar a devida investigação.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.