Pré-candidato a prefeito do DEM
vai depor na CPI da JMK

A CPI da JMK, que investiga os contratos feitos pelo governo do estado com a empresa que fazia manutenção dos veículos oficiais, vai ouvir o ex-secretário de Fazenda do curto governo Cida Borghetti Barros (PP), José Luiz Bovo, pré-candidato a prefeito de Maringá pelo DEM.

Sua convocação foi aprovada há pouco, durante a reunião da CPI, na Assembleia Legislativa do Paraná, que foi proposta pelo deputado Soldado Fruet.
Um dos fatos que chamaram a atenção da CPI é que, no dia 28 de dezembro do ano passado, a governadora autorizou um pagamento de R$ 18 milhões à JMK. Só que o ano fiscal havia se encerrado eno dia 18 daquele mesmo mês. No dia 20 de dezembro, o então secretário de Administração, Fernando Ghignone, solicitou o orçamento excepcional.
A solicitação de Ghignone a Bovo, que também foi secretário de Fazenda e de Gestão das administrações do PP de Maringá, foi formalizada no dia 20 de dezembro, mas o então secretário de Fazenda do Paraná assinou a autorização com data do dia 18. Ou seja, dois antes do secretário ter assinado formalmente o requerimento para orçamento extraordinário, a governadora assinou o crédito adicional.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.