Cidades ou municípios?

Tenho ouvido e lido, de jornalista e parlamentares, que a PEC do Pacto Federativo poderá resultar  em extinção de mais de 1.200 cidades.  Na minha interpretação, e me corrijam se estiver errado, a proposta trata de extinção de municípios e não de cidades. Vejamos a diferença:


Um município, pode ter várias cidades ou distritos. A cidade principal é chamada de distrito-sede, enquanto as menores não possuem autonomia municipal, ou seja, não são emancipadas. Resumindo: o município é um território composto por uma área rural e algumas áreas urbanizadas, que chamamos de cidades. O município de Maringá, por exemplo, tem a cidade Sede, e mais Floriano e Iguatemi, que também são cidades, e talvez São Domingos possa ser enquadrado como cidade.
Extinguir cidades é bem complicado, mas acontece, como o caso das represas que cobrem todas as construções , mas, mesmo nesses casos, há transferência de sede, geralmente mantendo- se no nome, o incluindo um ‘nova’. Portanto, fiquem tranquilos o moradores de pequenas cidades, com menos de cinco mil habitantes. Essas localidades em 99,999% dos casos não serão extintas. Cem por cento de certeza, só Deus pode ter. Nunca se sabe de um furação, um tsunami, ou outro fator pode acontecer. Pela PEC, jamais e tenho muitas dúvidas se deputados e senadores votarão pela extinção de municípios, afinal prefeitos e vereadores são importantes para eles. O que menos interessa é o Brasil.
PS:  Concorda, Gilson?

Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.