Entidades se metem em questões
que nada têm a ver com estatutos

Quem chega em Maringá depara-se com uma campanha publicitária, feita com dinheiro de comerciantes e industriais, em favor da prisão em segunda instância.

Este tipo de coisa não encontra respaldo nos estatutos das entidades patrocinadoras, que já foram usadas politicamente em outras missões. Uma das entidades já se posicionou em favor de Sergio Moro, flagrado comandando as ações da Lava Jato, apesar de que deveria ser apenas juiz do caso.

A impressão que passa é que a atual administração apoia a campanha da entidade contra o dispositivo constitucional, em discussão no STF, já que a propaganda está sendo veiculada na estação rodoviária e no aeroporto regional.

Assinam a propaganda a Acim e o Sinduscon.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

Deixe seu pitaco