Virou sucata

A rotativa do extinto O Diário do Norte do Paraná foi vendida – como sucata.

A venda foi feita por R$ 140 mil e o transporte da impressora custou R$ 120 mil. O Banco Itaú, verdadeiro dono do equipamento, preferiu vender a máquina do que ficar pagando aluguel de um barracão para guardá-la.

A rotativa foi adquirida há alguns anos por cerca de US$ 4 milhões (hoje, mais de R$ 16 milhões) e a fabricante faliu logo após a venda ao jornal.

O comprador, que seria de Apucarana, aproveitará algumas peças e venderá o restante como sucata.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

Deixe seu pitaco