Qual será a primeira campanha a jogar titica no ventilador?

Estrategista defende que, grande ou pequeno, adversário político é inimigo e os golpes não escolhem alvo: vale abaixo ou acima da correntinha

Marqueteiro com passado nada republicano e à disposição de campanha em Maringá já calibra artilharia para destroçar adversários. Não com propostas inovadoras, projetos exequíveis para reforçar as virtudes da cidade e melhorar a vida das pessoas, mas para descontruir biografias a partir de recortes de algum desvio de conduta.

Na perspectiva do ‘estrategista político’, não importa o tamanho do desvio.
Se grande ou pequeno, adversário político é inimigo e os golpes não escolhem alvo: vale abaixo ou acima da correntinha.

A estratégia já foi aplicada em outras cidades e levou a campanha ao nível de
rodapé, o que quase aconteceu em Maringá em 2020, quando destruição de reputação entrou na mira, mas arma voltou para o coldre diante de perspectiva que não justificava acionar o modo ‘terra arrasada’ e destruir reputações.

Tudo indica que o marqueteiro já está preparando o ventilador para espalhar o que recolheu. Ou encher o urinol e despejar o esgoto na cabeça da campanha inimiga, aplicando na pratica princípio que orienta extremos na disputa: ‘vale tudo, só não vale perder’.