Vereador de Ângulo perderá o mandato

O vereador Armando Lavanholi (PMDB), de Ângulo, micro-região de Maringá, perderá o mandato em alguns dias, quando o Legislativo daquela cidade receber formalmente a sentença do STJ que confirmou a cassação de seus direitos políticos. Lavanholi foi condenado em 2007, numa ação civil pública proposta em 2003 pelo Ministério Público, que denunciou que em 2001 ele comprou o mandato eletivo, que pertencia ao então vereador Dirceu José Mazzaron, que renunciou. A compra teria ocorrido com 21 cheques pré-datados que somaram R$ 14,5 mil. O caso foi noticiado em primeira mão na coluna “Mosaico”, no jornal Hoje.
Em 9 de maio último o ministro Félix Fischer confirmou a sentença do juiz Gilberto Romero Perioto, da 1ª Vara Cível de Astorga, que além da suspensão dos direitos políticos por três anos prevê o pagamento de multa de dez vezes o valor do que ele recebia como vereador. Além de Lavanholi, que foi diretor de Agricultura daquele município, foram condenados à época Mazzaron e o ex-vereador João Rissardo, que teria emprestado os cheques. No último dia 26 o STJ encaminhou ao presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, desembargador Miguel Kfouri Neto as peças do processo transitado em julgado, que retornará à comarca de Astorga. A previsão é de que em alguns dias a câmara de Ângulo será notificada da decisão e promoverá a cassação de Lavanholi (foto), que deverá ser substituído pelo servidor público municipal Toninho Ulbano, segundo suplente do PMDB, que recebeu 42 votos em 2008. O primeiro suplente é Rissardo, que também foi condenado transitado em julgado em maio passado.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.