Domingo barulhento

Leitor escreve para contar que acordou às 6h de hoje com um barulho de sirene, achando que era de carro da polícia ou do Samu. “Mas, pasmem, não o era. Eram os maquinários da Palmali, trabalhando, em pleno domingo, fazendo um barulho ensurdecedor. Olha que moro há uns quinhentos metros. Imaginem quem reside bem próximo. Segunda-feira irei na no MinistérioPúblico do Meio Ambiente. Não suporto mais tantos desmandos, há de ter uma solução para isso. Também chamarei a mídia, como já o fizem 2007. Não é possível que numa cidade como Maringá exista um frigorífico no centro da cidade! Existe um edifício residencial, próximo, novinho, já terminado há quase um ano e não existe praticamente ninguém morando. Peço aos vizinhos da malfadada empresa que também se mexam; não podemos ficar sofrendo, nos calar e nada fazer”.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.