Seria injusto

Leitor que se identifica como Luis fez o seguinte comentário: “Akino, desculpe mas que trabalho…vc está tentando para ver se saia uma boquinha “ou melhor cavando uma oportunidadezinha futuramente”, vc foi visto “estava” no grupo vermelho está semana, mas tché que trabalham…” (sic)
Meu comentário: Caro Luis, você me dá a oportunidade de esclarecer, mais uma vez: não sou filiado a nenhum partido, não participei de nenhuma reunião com grupos de qualquer cor, não aspiro qualquer boquinha como CC ou qualquer outro cargo. Trabalho muito, em média 10 horas por dia, dedicando pelo menos umas três para atividade voluntária de cidadania, fazendo o papel de fiscalização, na ausência de atuação, neste sentido, da maioria dos vereadores. Sou empresário numa atividade de prestação de serviço, e não dependo de benesses do poder público. Não aspiro cargos de CC, nem de secretários, pois ganho mais como empresário (se o salário baixar para R$ 9 mil). Sabe o quer espero das próximas eleições? Que se eleja uma câmara melhor que atual e que Ricardo Barros não seja reeleito para o seu terceiro mandato indireto.
Se eu fosse um egoísta, alienado, sem preocupação social , principalmente com os mais pobres, diria que ‘num tô nem ai’, pois a minha vida não se alterará, sem quem for o eleito para prefeito. Mas como disse Silvio II, já estou pensando na “prestação de contas a Deus”. Quero ter o que apresentar. Fico curioso para saber o que apresentarão esses políticos que enganam quase todo mundo, principalmente o ‘maioral deles’, em Maringá, um que podemos comparar a Aníbal Cury e ACM, só para citar dois. Que Deus não os perdoe! Seria injusto.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.