Dificuldade no passeio público

Há menos um mês um leitor fez reclamação no 156 da Prefeitura de Maringá, referente à construção com materiais na calçada, o que obriga os transeuntes a andarem pela rua. “No último dia 26 liguei para saber resposta e fui informado que o “local” foi notificado e que teriam de 30 a 60 dias para se adequarem. Em matéria do jornal do meio dia da RPC de hoje, que tratava deste assunto, inclusive com pedaço da reportagem feita aqui na cidade, foi falado que o prazo para regularização é de cinco dias; liguei novamente no 156 e a atendente falou que eles têm entre 30 e 45 dias (já mudou o tempo) para regularizar a situação. Citei a reportagem, a atendente foi falar com sua chefe e respondeu que o tempo é de 30 e 45 mesmo. Neste período quem passa pelo local precisa andar pela rua correndo perigo de ser atropelado”, conta. O maringaense acrescenta que, se for atropelado, processará  o dono da construção, a prefeitura e o Procon. “Sim, Procon! sabe por qual motivo? pagamos os impostos para a prefeitura manter a cidade, ou seja, pagamos por um serviço que não está sendo prestado e como é função do Procon “brigar” por nossos direitos e eles não estão zelando por nós, também merecem ser punidos. Vamos trabalhar prefeitura, vamos cuidar dos transeuntes”, finaliza.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.