Boas ideias para Maringá copiar

Em Londrina, uma cooperativa que coleta recicláveis agora está recolhendo roupas, móveis e eletrodomésticos (confira reportagem do Bom Dia Paraná). Em Rolândia, a prefeitura realizou licitação na semana passada e contratou empresa para recolher sofás, colchões e outros produtos. Lá, o município gasta R$ 60 mil mensais para o recolhimento de tudo que as famílias descartam. Em Maringá, apesar de existir uma lei de autoria do atual chefe de Gabinete do Prefeito, para recolhimento mensal, o sistema não funciona e os canteiros centrais vivem cheios de lixo e entulho.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.