Lixo, dinheiro, lixo, dinheiro

A administração Pupin vai realizar duas contratações na área do lixo; a emergencial, para suprir os 60 apenados que eram coletores, coisa que pode durar seis meses, e a principal, que agora vai que vai com a aprovação da turma obediente da câmara municipal. Está acertado, no mesmo escritório de sempre, que quem ganhar a primeira não levará a segunda e milionária licitação, que deve custar entre R$ 7 milhões e R$ 14 milhões a mais do que o custo atual, dinheiro que sairá dos impostos que o cordato maringaense costuma pagar sem questionar. Há dois brigando para levar, e olha que nem audiência pública houve. Levará a empresa que agradar melhor, sabe como é.  Nestas horas não tem como não se lembrar do papa Francisco, que costuma criticar o fato de que, para algumas pessoas, o poder, o luxo e o dinheiro se tornam ídolos.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.