Ó, dúvida!

E continuam as apostas: Ricardo Barros, que foi muito próximo de José Janene, ex-presidente estadual e atual tesoureiro do PP nacional, foi ou será citado por Alberto Youssef na delação premiada? A se julgar pelo vídeo do último depoimento de Youssef ao juiz maringaense Sergio Moro, em que o londrinense disse operar um caixa dois do PP, parece difícil que tenha sido ele o único da cúpula pepista a ficar de fora do butin – ainda mais quando se sabe que um ex-secretário de Fazenda de Maringá costumava ir a Londrina tratar deste tipo de assunto com o finado parlamentar. A dúvida só será esclarecida quando se conhecer os detalhes da delação premiada. Até lá…

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.